Top 3 fatores de ranqueamento em 2016

Otimização de sites (SEO) é algo que está em constante atualização e se você não acompanhar essas mudanças, você acaba ficando pra trás e seus clientes são prejudicados.

Assim como, há muito tempo atrás, sabíamos apenas que o Google não indexava páginas dinâmicas em javascript/ajax, hoje em dia já sabemos que o Google indexa sim conteúdo e páginas dinâmicas, contanto que você não esteja bloqueando arquivos .css e .js no arquivo robots.txt.

3 principais fatores de ranqueamento

O Google dificilmente dá pistas sobre como o algoritmo dele funciona, porém recentemente em um hangout de Q&A foram divulgados os três principais fatores para ranqueamento. São eles: Links, conteúdo e rankbrain. Irei falar um pouco sobre cada um deles e no final desse artigo irei colocar o vídeo desse hangout (em inglês) para quem quiser assistir.

Links / Autoridade / Link Building

Desde o início de otimização de SEO, o link building sempre foi um fator importantíssimo para o bom posicionamento de uma página/site, mas devido à inúmeras técnicas proibidas de black hat para manipular os resultados ele foi perdendo um pouco de força. Porém, ele continua sendo um dos principais fatores para a construção da SERP pelo algoritmo do Google.

Não só o Google, mas a internet em si é feita de links, contanto que sejam naturais e orgânicos (que não sejam exagerados) e isso dificilmente irá mudar um dia.

Os links são a forma de passar autoridade / link juice entre páginas e sites e com isso aumentando suas relevâncias perante aos buscadores.

É recomendado sempre montar uma estratégia de link building focada no nicho de mercado do site em questão e produzir um conteúdo de qualidade (já entrando no segundo item) que naturalmente sua página será compartilhada e disseminada pela internet.

Conteúdo

Cada vez mais, o conteúdo das páginas está sendo relevante para os usuários e consequentemente para o Google, que segue a ideia de UX (user experience) que é de ser útil para quem está acessando o site e consumindo aquele conteúdo/informação.

O que isso quer dizer? Quanto mais útil o seu conteúdo for, melhor será o seu posicionamento. Por exemplo, digamos que seu usuário possui um problema/dúvida e no seu site existe uma página que explica exatamente o que ele tá procurando e resolve o problema dele, a chance de você se posicionar bem para as buscas relacionadas ao assunto da página são muito grandes.

Vale lembrar que todo conteúdo publicado deve ser único e exclusivo, caso contrário você pode ser punido por conteúdo duplicado e plágio.

RankBrain

Do que se trata o rankbrain afinal? O rank brain nada mais é que a busca semântica que o Google faz, ou seja, o algoritmo possui um aprendizado de máquina automático o qual traça perfis de navegação para cada usuário e exibe para ele os resultados que ele acha mais relevante.

Como ele consegue isso? O algoritmo traça um perfil de acordo com os dados que são coletados na sua navegação normal na internet, histórico de sites, etc. Ou seja, ele basicamente consegue aprender e entender quem é você e do que você gosta.

Com essas informações sobre você em "mãos", aliado a uma página com uma boa relevância e um conteúdo de qualidade, ele exibe os melhores resultados possíveis para a busca feita.

Isso eleva a navegação na internet à um patamar totalmente novo e grandioso, onde o algoritmo não só executa uma rotina mas ele literalmente aprende e entende o comportamento de cada usuário na internet por meio de inúmeros dados coletados pela nossa navegação, nos provando mais do que nunca que nada passa batido na internet.

Abaixo está o vídeo do hangout em inglês que rolou com Andrey Lipattsev – Search Quality Senior Strategist do Google.

 

Comments

comments